Blogia

Prosa Alternativa Contra a Globalização

Blogue de Fotógrafos Portugueses

Uma agência de fotógrafos portugueses criou um Blogue de modo poder fazer a interpretação da realidade através da fotografia. Apesar de ser uma abordagem fundamentalmente subjectiva, quando se entra neste espaço virtual somos obrigados a reflectir sobre a realidade do nosso quotidiano. Vale a pena dar uma espreitadela!

¿Y esta publicidad? Puedes eliminarla si quieres.

II Encontro de Weblogs, em Outubro - UBI (Covilhã)

Está agendado para os próximos dias 14 e 15 de Outubro, na Universidade da Beira Interior(UBI), o II Encontro de Weblogs, que vai reunir os melhores especialistas destas matérias na Covilhã. Durante os dois dias em que vão poder estar juntos, os Bloguistas certamente que vão trazer um ambiente muito especial à Universidade do Minho.
Parabéns à organização do evento, porque os Weblogs são efectivamente a maior Força de Comunicação Alternativa da actualidade.

Guerras da Informação - Novo livro do jornalista Carlos Santos Pereira

O Ex-Jornalista da RTP e especialista em assuntos balcânicos, CARLOS SANTOS PEREIRA, editou um novo livro intitulado "Guerras da Informação - Militares e Media em Cenários de Crise". Uma obra editada com a chancela da Tribuna da História e que tem merecido grande aceitação por parte dos militares e estudantes de jornalismo.
«Os jornalistas dirão que a guerra é demasiado importante para ser deixada aos generais, mas reportar a guerra é demasiado importante para ser deixado apenas aos repórteres». A advertência é lançada pelo general BRADY em vésperas da guerra do Golfo de 1991, resume toda a problemática abordada neste trabalho do jornalista Carlos Santos Pereira.

Novo Curso de Jornalismo na Universidade de Columbia

A Universidade de Columbia decidiu repensar toda a sua formação académica na área do Jornalismo. Os alunos avançaram com novas propostas e os professores também e pelos vistos vai mesmo avançar um novo curso de Jornalismo. Talvez seja um bom exemplo a seguir por algumas Universidades Portuguesas e Institutos Politécnicos, que têm os seus cursos completamente estafados.

Freelancers Americanos ganham acção muito importante

A polémica que se desenrolou em torno dos Jornalistas Freelancers que escreveram para publicações em suporte de papel (jornais e revistas) e viram posteriormente os seus trabalhos aparecerem incluídos em bases de dados on-line, finalmente chegou ao fim com uma vitória judicial importantíssima para toda a classe. O Tribunal onde decorreu a acção judicial condenou as empresas e estas vão ter de pagar a módica quantia de 18 milhões de dólares pelo uso abusivo dos artigos dos jornalistas Freelancers.
E por cá o que tem sido feito nesta matéria?

Um Blogue interessante a não perder: Columbia Journalism Review

Existe um Blogue muito interessante sobre matérias relacionadas com a Comunicação Social e o Jornalismo, que os apaixonados por estas áreas não devem deixar de ler periodicamente. Estamos a falar da Revista Internacional : Columbia Journalism Review. Acreditem que vale mesmo a pena!

Quais devem ser os direitos e deveres dos Bloggers

Um jornalista do "Los Angeles Times", DAVID SHAW, defendeu publicamente que os Bloggers merecem as mesmas protecções básicas que os jornalistas. Nós por aqui, gostariamos imenso de saber quais são efectivamente as vossas opiniões.
Sabemos que esta matéria ainda vai fazer correr muita tinta, mas pelo menos é bom que se discuta neste momento na comunidade académica e científica (pelo menos na área das Ciências da Comunicação), como devem ser tratados os Bloggers.

Jornalismo em Portugal , hoje

Os responsáveis pela Biblioteca-Museu República e Resistência em Lisboa, decidiram (e bem!) avançar com um ciclo de debates públicos dedicados ao Jornalismo em Portugal e que vão durar até final do ano. Sabendoque "para além de outras «fontes», novos «agentes» intervenientes se perfilam no fenómeno, as «novas tecnologias» estão a alterar vil, violenta e rapidamente «as regras do jogo» no jornalismo", os organizadores elaboraram um programa que vale a pena espreitar.
O importante é que as pessoas participem nos debates e colóquios que estão agendados.

Sindicato dos Jornalistas da Galiza

Finalmente os Xornalistas Galegos conseguiram fundar o seu Sindicato.
O Sindicato dos Jornalistas (SJ) foi convidado a participar na Assembleia Constituinte do Sindicato dos Jornalistas da Galiza (SJG), efectuada a 27 de Fevereiro, em Santiago de Compostela. Xurxo Salgado Tejido é o presidente eleito da Junta Executiva do SJG.
Mais de 150 jornalistas e outros profissionais da maioría dos meios de informação galegos participaram na assembleia sindical, que decorreu no auditório da Universidade de Santiago de Compostela, a que assistiram também representantes dos sindicatos de sete Comunidades Autónomas - Catalunha, Madrid, Canárias, Baleares, La Rioja e Andaluzia - e da Federação de Sindicatos de Jornalistas.
A luta contra a precariedade laboral que afecta os jornalistas galegos, a negociação de convenções colectivas de trabalho e a regulamentação dos direitos de autor são três dos objectivos prioritários do SJG.
A regulamentação da presença dos estagiários nas redacções, no sentido de “não entrarem na espiral de exploração”, é outro objectivo, como afirmou o seu presidente, Xurxo Salgado Tejido, que apoiou o Estatuto do Jornalista em discussão nas Cortes.
Enric Bastardes, do Sindicato de Jornalistas da Catalunha, também defendeu a aprovação do Estatuo do Jornalista, rebatendo as críticas que alguns meios de informação lhe têm feito com o argumento de que será um limite à liberdade de imprensa. Pelo contrário, defendeu, a aprovação do Estatuto é fundamental para colocar o jornalismo espanhol a par da situação existente nos outros países europeus.
Alfredo Maia, em nome do SJ, apresentou uma saudação que salientou a honra e a felicidade de “participar num momento histórico de grande importância social” e o orgulho “por ter estado presente nalguns momentos da jornada de formação do Sindicato dos Jornalistas da Galiza”.
O presidente do SJ acrescentou ter-se tratado “de um processo extraordinariamente rico do ponto de vista da formação democrática da vontade colectiva e extremamente enriquecedor para todos quantos participaram nos debates e reflexões que levaram à criação do SJG”.
A concluir a sua intervenção, Alfredo Maia que “a experiência do nosso relacionamento com várias organizações sindicais mostram ser possível aprofundar as relações de amizade e cooperação nesta importante comunidade peninsular”.
É o seguinte, na íntegra, o texto da saudação do SJ enviado ao Sindicato dos Jornalistas da Galiza:
O Sindicato dos Jornalistas portugueses saúda calorosamente o Congresso Constituinte do Sindicato dos Jornalistas da Galiza e transmite fraternos votos de êxito nas importantes tarefas que o esperam.
O Sindicato dos Jornalistas portugueses saúda igualmente todos jornalistas galegos e especialmente os membros da sua nova organização, certo de que esta representará um poderoso instrumento de defesa e valorização da profissão e de protecção dos direitos, interesses e garantias dos seus profissionais.
Sentindo-se muito honrado em assistir a este Congresso Constituinte e feliz por participar num momento histórico de grande importância social, o Sindicato dos Jornalistas portugueses sente-se igualmente orgulhoso por ter estado presente nalguns momentos da jornada de formação do Sindicato dos Jornalistas da Galiza.
Tratou-se de um processo extraordinariamente rico do ponto de vista da formação democrática da vontade colectiva e extremamente enriquecedor para todos quantos participaram nos debates e reflexões que levaram à criação do SJG.
Tratou-se de um processo aberto e de uma discussão sem reservas, alargada a jornalistas empenhados em encontrar respostas para os seus problemas e a dirigentes e activistas das organizações sindicais e profissionais já existentes no terreno.
A forma transparente, participada e democrática como a sua criação foi conduzida só pode augurar uma prática de lealdade para com os seus membros, os jornalistas em geral e as restantes organizações, construindo a unidade sem prejuízo de diferenças e até de divergências.
No momento em que nasce formalmente um novo sindicato de jornalistas, é justo afirmar que esta continua a constituir a forma de organização que melhor responde em múltiplas frentes aos problemas e desafios – laborais, deontológicos, etc. – que estes profissionais enfrentam todos os dias.
A elevada responsabilidade social dos jornalistas, a crescente exigência de qualidade e de responsabilidade por parte do público, a complexidade desta actividade profissional e a adversidade das condições de produção dos meios de informação exigem uma resposta integrada que os sindicatos de jornalistas estão em condições de garantir.
O nascimento de mais um sindicato ocorre ainda numa altura em que prosseguem transformações profundas do sector no espaço ibérico, onde se prevêem novos movimentos de internacionalização de empresas cujas consequências é necessário analisar e cujos efeitos negativos é urgente prevenir.
Os honrosos convites ao Sindicato dos Jornalistas portugueses para participar em iniciativas preparatórias e, especialmente, no Congresso Constituinte que hoje celebrais, assim como a experiência do nosso relacionamento com várias organizações sindicais mostram ser possível aprofundar as relações de amizade e cooperação nesta importante comunidade peninsular.
A convicção de que a natureza da nossa missão profissional e de que os nossos problemas não conhecem fronteiras e a nossa certeza nas imensas possibilidades de um futuro mais fraterno entre os povos permitem-nos confiar na comunhão das nossas causas e na unidade da nossa acção.
Viva o Sindicato dos Jornalistas da Galiza! Viva a Liberdade de Imprensa!

Jornalismo Participativo está em alta

Para quem tinha dúvidas do êxito que o Jornalismo Participativo estava a ter nas sociedades modernas, aqui ficam mais uns lugares para se poder dar uma espreitadela e ao mesmo tempo poder participar também. É caso para se dizer que o Jornalismo Participativo está cada vez mais entranhado no nosso quotidiano.
Mas que alterações sociais poderá provocar o Jornalismo Participativo na sociedade contemporânea?

Ser Editor de Jornalistas - Cidadãos

Vê como é que se pode ser Editor de Jornalistas - Cidadãos.
É caso para dizer que o Mundo da Informação está efectivamente a ser alvo de mudanças profundas.
Mas até que ponto este género de fazer jornalismo não vai pondo em crise o próprio jornalismo profissional e profissionalizado?

¿Y esta publicidad? Puedes eliminarla si quieres.

Canibalizem o Luís Delgado por favor!!!

É caso para dizer que o jornalista, ou melhor, que o Comissário Político "alaranjado" e pró-americano, Luís Delgado (Diário de Notícias), não deve estar bom da cabeça, ou então, deve pensar que os portugueses andam distraídos ou são parvos.
Há uns meses atrás, este Comissário Político defendia com unhas, garras e dentes de coiote no jornal "Diário de Notícias" o Governo de Santana Lopes. Assumiu publicamente, por diversas vezes, que o Engenheiro José Sócrates não era a melhor solução para Portugal e que o Partido Socialista não era a melhor força para governar o país.
Ou seja, antes das Eleições do dia 20 de Fevereiro, Luís Delgado, António Ribeiro Ferreira e tantos outros que têm denegrido a imagem do jornal "Diário de Notícias", não hesitaram em atacar José Sócrates e o Partido Socialista.
Como os ventos políticos mudaram em Portugal e o Engenheiro José Sócrates conseguiu uma maioria absoluta para o Partido Socialista, é ver o sem vergonha do Luís Delgado a mudar de rumo nas suas crónicas. Umas crónicas que provocam náuseas e enxaquecas ao mais saudável dos mortais.
Por exemplo na crónica de ontem, Luís Delgado avançava com o seguinte título: "Boa surpresa de Sócrates". E iniciava a sua prosa graxista assim: "É preciso aceitar as coisas como elas são: Sócrates, no debate na Assembleia da República, surpreendeu pela positiva, foi claro e objectivo, preciso e conciso, onde o Programa do Governo era vago, generalista e nada apelativo".
E depois deixava um ALERTA ao centro-direita: "ou se preparam bem para uma oposição positiva, construtiva e alternativa, ou este primeiro-ministro, com o estilo que tem e as medidas que quer pôr em prática, canibaliza o espaço natural do PSD e do PP".
Realmente é preciso não se ter vergonha!
Enquanto o "Diário de Notícias" tiver pessoas como o Comissário Político Luís Delgado, a escrever todos os dias nas suas páginas, jamais deixará de perder leitores. Quando é que chega alguém a este jornal que seja capaz de canibalizar este idiota? É que já não há paciência para ler crónicas tão cinzentas. E já agora, canibalizem também o António Ribeiro Ferreira que está a ficar pior do que o Luís Delgado. Portugal agradece.
José Peixe

Portal de Notícias no Algarve

O Algarve e o Mundo inteiro têm desde sábado um novo portal de Notícias na Internet, inteiramente dedicado à Informação Geral sobre esta região. Este novo espaço informativo virtual foi concebido pela empresa Central de Notícias do Algarve (CNA)e pretende chegar a todos os turistas que se interessem por esta região. Vale a pena dar uma espreitadelaneste novo site.
Este exemplo comunicacional regional pode ser implementado noutras regiões do país. Apoios comunitários para projectos inovadores que envolvam novas tecnologias parecem não faltar.
JP

Novo Livro de Gabriel García Márquez

Após alguns anos de silêncio e sofrimento na área da saúde, o escritor e jornalista colombiano, Gabriel Garcia Márquez, acaba de editar o seu último livro em Portugal, Memória das minhas putas tristes, pela Dom Quixote. Um livro fantástico e a não perder.
Aqui fica um pequeno (pequeno mesmo!) excerto da obra:
«No ano dos meus noventa anos quis oferecer a mim mesmo uma noite de amor louco com uma adolescente virgem. Lembrei-me de Rosa Cabarcas, a dona de uma casa clandestina que costumava avisar os seus bons clientes quando tinha uma novidade disponível. Nunca sucumbi a essa nem a nenhuma das suas muitas tentações obscenas, mas ela não acreditava na pureza dos meus princípios. A moral também é uma questão de tempo, dizia com um sorriso maligno, tu verás. Era um pouco mais nova do que eu e não sabia dela há tantos anos que bem podia já ter morrido. Mas ao primeiro toque reconheci a sua voz ao telefone e disparei sem preâmbulos:
- Hoje sim.
Ela suspirou: Ai, meu sábio triste, desapareces vinte anos e só voltas para pedir impossíveis.
(...) No dia dos meus noventa anos tinha acordado, como sempre, às cinco da manhã. O meu único compromisso, por ser sexta-feira, era escrever a crónica assinada que é publicada aos domingos em El Diario de La Paz. Os sintomas do amanhecer tinham sido perfeitos para não ser feliz: doíam-me os ossos desde madrugada, ardia-me o cu, e havia trovões de tempestade depois de tr~es meses de seca. Tomei banho enquanto o café fazia, bebi uma chávena adoçado com mel de abelhas e acompanhado com dois bolos de cassabe e vesti o fato-macaco de pano de estar por casa».
Dono de uma narrativa rigorosa e enxuta, Gabriel Garcia Márquez com a "Memória das minhas putas tristes", acaba por reafirmar-se (uma vez mais!) ao mundo da literatura hispânica, como um dos seus expoentes máximos. A não perder.
Depois, deixe aqui o seu comentário alternativo!
JP

Era da Comunicação Global

O jornalista norte americano DAN GILLMORé sem dúvida um dos pensadores mais notáveis sobre as questões que se levantam em torno dos novos meios de comunicação modernos, nomeadamente a Internet e os Blogs. Na sua obra "NÓS, OS MEDIA" (Editorial Presença- 2005), o autor analisa com profundidade todas as possibilidades da chamada Era da Comunicação Global.
Segundo GILLMOR, "actualmente, os grandes Media como jornais, canais televisivos, rádio, geralmente propriedade de monopólios, começam a ver os seus poderes ameaçados devido às consequências da crescente facilidade com que se acede à Internet e às ferramentas que esta disponibiliza a custos reduzidos".
Este jornalista americano afirma que "a nova revolução tecnológica permite que os utilizadores passem a ser eles próprios produtores de notícias e outros conteúdos, dando origem a uma espécie de jornalismo cívico.
Concorda com a opinião de DAN GILLMOR?
Acha que existe mesmo jornalismo cívico?
Escreva o que lhe vai no corpo, no espírito e na alma sobre esta matéria tão actual.
JP

POESIA ALTERNATIVA E ANÓNIMA

Companheiros(as) e Camaradas,

Hoje, iniciamos neste lugar virtual, onde a prosa pretende ser alternativa, um espaço dedicado à Poesia Alternativa. Ou seja, cedemos este lugar de liberdade virtual a todos aqueles que quiserem publicar poemas que não tenham sido editados.
O poema que vamos transcrever, pertence a alguém que por norma escreve Poesia e depois guarda numa gavetinha.
Vamos terminar com as gavetas e publicar neste espaço que também é vosso. Esperamos por mais poesia alternativa.

ESTA NOITE

A ti, que levas o meu coração:

Ao luar quis dormir
sem teu corpo sentir
a saudade fui abraçar
sem saber o que pensar.

Com sorriso de criança
ao cobertor me agarrei
alimentei minha esperança
com as rosas que ganhei.

Meu quarto, perfumado ficou
como se a tua presença
fosse meu sorriso de criança.

Nada senti senão o desejo,
mas a dor dominou meu corpo
por falta do teu beijo.

AN

Crimes Contra o Povo Iraquiano.

Em 2003, o professor de linguística do Massachusetts Institute of Technology, NOAM CHOMSKY, escreveu um livro intitulado "IRAQUE - Assalto ao Médio Oriente" (Edições Antígona), onde deixava bem claro que a invasão do Iraque tinha um objectivo concreto: o assalto ao petróleo.
Todos nós sabemos que o Iraque tem as segunda maiores reservas de petróleo do Mundo, muitas delas subexploradas ou ainda por explorar. Segundo os entendidos nesta matérias, essas reservas são muito superiores às da região do Cáspio e da Ásia Central e Oriental. E como é mais do que óbvio, Os Estados Unidos não vão permitir que esta riqueza incalculável fique fora do seu controlo.
A Guerra do Iraque foi a melhor forma de entrar no país e controlar essa situação. Só é pena é que o Governo Português, por intermédio de Durão Barroso, tenha sido cúmplice dos crimes cometidos contra o povo iraquiano.
Aquela Cimeira dos Açores (A Cimeira da Guerra) foi uma vergonha para todos aqueles que perceberam desde a primeira hora que os Estados Unidos estavam determinados em fazer a Guerra do Petróleo a todo o custo.
Nos próximos dias (18, 19, e 20 de Março), a Audiência Portuguesa do Tribunal Mundial Sobre o Iraque (AP-TMI), no Auditório da Torre do Tombo, Alameda da Universidade, em Lisboa e perante a tribuna e o público, várias pessoas vão avançar com depoimentos no sentido de testemunhar as provas de crimes e cumplicidades do Estado Português que aparecem descritos na Acusação, elaborada por uma equipa de juristas altamente credenciados.
A participação de todos aqueles que lutam mo seu dia a dia contra a Injustiça, a Guerra, a Fome e a Miséria é fundamental.
JP

Crimes Contra o Povo Iraquiano.

Em 2003, o professor de linguística do Massachusetts Institute of Technology, NOAM CHOMSKY, escreveu um livro intitulado "IRAQUE - Assalto ao Médio Oriente" (Edições Antígona), onde deixava bem claro que a invasão do Iraque tinha um objectivo concreto: o assalto ao petróleo.
Todos nós sabemos que o Iraque tem as segunda maiores reservas de petróleo do Mundo, muitas delas subexploradas ou ainda por explorar. Segundo os entendidos nesta matérias, essas reservas são muito superiores às da região do Cáspio e da Ásia Central e Oriental. E como é mais do que óbvio, Os Estados Unidos não vão permitir que esta riqueza incalculável fique fora do seu controlo.
A Guerra do Iraque foi a melhor forma de entrar no país e controlar essa situação. Só é pena é que o Governo Português, por intermédio de Durão Barroso, tenha sido cúmplice dos crimes cometidos contra o povo iraquiano.
Aquela Cimeira dos Açores (A Cimeira da Guerra) foi uma vergonha para todos aqueles que perceberam desde a primeira hora que os Estados Unidos estavam determinados em fazer a Guerra do Petróleo a todo o custo.
Nos próximos dias (18, 19, e 20 de Março), a Audiência Portuguesa do Tribunal Mundial Sobre o Iraque (AP-TMI), no Auditório da Torre do Tombo, Alameda da Universidade, em Lisboa e perante a tribuna e o público, várias pessoas vão avançar com depoimentos no sentido de testemunhar as provas de crimes e cumplicidades do Estado Português que aparecem descritos na Acusação, elaborada por uma equipa de juristas altamente credenciados.
A participação de todos aqueles que lutam mo seu dia a dia contra a Injustiça, a Guerra, a Fome e a Miséria é fundamental.
JP

Bem vindos ao Jornalismo Alternativo

Numa altura em que a Blogosfera começa a dar que falar e a mexer com o Mundo da Comunicação/Informação, decidi também eu fazer um Blog dedicado ao Jornalismo Alternativo. Um Jornalismo de proximidade. Um Jornalismo de denúncia. Um Jornalismo inconformado. Quero dar-lhes as boas vindas a este espaço que eu pretendo que seja aberto, livre e democrático. Um espaço que também é vosso. Um espaço que promete dar voz aos que não a têm. Um espaço onde a Liberdade de Expressão seja o pilar fundamental de todos os que passarem por aqui.
Toda a prosa alternativa, ousada e contra a Globalização será bem vinda. Toda a prosa que reivindique um Mundo melhor e mais harmonioso pode ser publicada neste espaço. Todos os autores que se se identifiquem com este espaço também não vão ser esquecidos. Ou seja, este espaço virtual será aquilo que nós quisermos que ele seja.
Haja vontade e coragem. Bem vindos.
José Peixe

¿Y esta publicidad? Puedes eliminarla si quieres

Quando Ernesto Guevara optou por ser Guerrilheiro.

Em Abril de 1957, quando ERNESTO GUEVARA (Comandante CHE) chegou a Sierra Maestra, para dar início à campanha de guerrilha, ele tinha responsabilidades como médico e como soldado. Mas tal como ele escreveu, teve que fazer uma opção clara e objectiva que ia de encontro aos seus ideais revolucionários:
«(...) E fui confrontado com o dilema de me dedicar à Medicina ou ao meu dever como um soldado revolucionário. Tinha à minha frente uma mochila cheia de medicamentos e uma pasta com munições, as duas eram demasiado pesadas para eu carregar juntas. peguei nas munições e deixei a mochila para trás».
CHE GUEVARA
Este espaço abre as portas para tudo aquilo que nós encontrar-mos sobre um dos homens mais nobres de toda a América Latina. Por isso já sabem, tudo o que encontrarem na NET sobre "el Comandante" não hesitem em enviar para "Jornalismo Alternativo", porque nos anos 50/60 o próprio CHE conseguiu ser uma alternativa na sua forma de estar, sentir, pensar e agir. Como ele escreveu nos seus diários: «A paixão é necessária para qualquer grande obre, e para a Revolução a paixão e a audácia são precisas em grande quantidade».
O fotógrafo Alberto Korda teve a felicidade de poder fotografar "el Comandante Che". As suas fotos ficaram para sempre.
Venham daí algumas "dikas" para enobrecer este espaço.

¿Y esta publicidad? Puedes eliminarla si quieres
¿Y esta publicidad? Puedes eliminarla si quieres